BONS NEGÓCIOS
BUSCADOR DE FRANQUIAS
VER TODAS
Francap
Lojas podem instalar franquias em seu espaço a partir de R$ 5.000
Empreendedores que já possuem estabelecimentos comerciais podem instalar a estrutura de uma franquia dentro de suas lojas para aumentar os rendimentos. Sem perder a identidade do negócio, o empresário pode trazer uma segunda marca, já conhecida no mercado, para complementar o serviço oferecido.

Um espaço da Hope Sob Medida (moda íntima feminina), por exemplo, custa a partir de R$ 5.000 e é indicado para lojas de roupas ou de lingeries em cidades com até 150 mil habitantes. Um quiosque de emissão de certidões e documentos para animais da Seu Pet Com Sobrenome tem investimento inicial a partir de R$ 12,4 mil e pode ser aberto dentro de pet shops, clínicas veterinárias e pet centers.

Segundo o diretor-executivo da ABF (Associação Brasileira de Franchising), Ricardo Camargo, trazer uma franquia para dentro de uma loja aumenta a lucratividade do empresário e melhora o fluxo de clientes no interior do estabelecimento.

A principal vantagem, no entanto, é a redução de custos, especialmente com aluguéis imobiliários. “Como o empresário vai utilizar um espaço que já é dele, a economia é de 10% a 20%”, afirma.

Para Camargo, esta é uma alternativa que as franquias encontraram para escapar dos altos preços dos aluguéis imobiliários e da escassez de pontos comerciais. Porém, ainda não dá para dizer que é uma tendência no Brasil. “Por aqui, este tipo de negócio ainda está muito ligado a roupas e cafeterias dentro de lojas e livrarias.”

Loja e franquia devem ser complementares
De acordo com André Friedheim, diretor da Francap, consultoria especializada em franchising e redes de negócios, a nova franquia deve ser complementar à loja do empreendedor. As duas marcas precisam atuar em sinergia e não competir uma com a outra.

O erro na escolha da franquia pode causar estranheza por parte dos clientes e impactar diretamente no desempenho da loja. “O ideal é oferecer uma experiência de compra mais completa e interessante ao consumidor”, diz.

O diretor da Francap afirma que o lojista deve analisar se o estabelecimento tem espaço suficiente para comportar a estrutura da franquia que será aberta ali. Mais importante ainda é não perder a identidade da primeira empresa.

“O segundo negócio não pode ser maior e se sobressair ao primeiro, deve ser sempre complementar. Se isso acontece, o empresário perde o DNA da empresa e seu motivo de ser”, declara.

Empresário pode alugar espaço dentro da loja
Além de investir na franquia como uma segunda empresa sob seu comando, o lojista também pode optar por alugar um espaço dentro de sua loja para outro empreendedor entrar com a franquia.

Neste caso, de acordo com Friedheim, o lojista não participa da administração ou dos lucros do novo negócio e recebe apenas o aluguel correspondente ao espaço utilizado pelo franqueado. “Se a loja já for alugada, é preciso ter autorização do proprietário do imóvel para sublocar o espaço”.

Segundo Friedheim, tanto para o lojista que vai ceder o espaço quanto para o franqueado que vai alugá-lo, é preciso calcular se o negócio é viável e avaliar se a franquia complementará o serviço da loja.

“Quem entra aproveita-se do fluxo de clientes da outra operação, tem custo de locação menor, mas nunca vai ser o negócio principal daquele ponto. Ele não vai estar na vitrine e o potencial de faturamento não é o mesmo de uma loja própria”, diz.
icon facebook
icon facebook
Rua Pedroso Alvarenga, 1046 - 14º Andar - Itaim Bibi - São Paulo/SP | Tel. (11) 5180-5555 | Fax. (11) 3079-1998
desenvolvido por Criamix
NEWSLETTER