BONS NEGÓCIOS
BUSCADOR DE FRANQUIAS
VER TODAS
Francap
Franquias se superespecializam em unhas, cookies e carne com batata
Um serviço de beleza que só cuida das unhas, um restaurante que oferece um único prato, de carne com batatas, uma loja que só vende cookies – abrir um negócio desse tipo é possível atualmente graças à supersegmentação das franquias, que estão se especializando em um único tipo de produto e serviço para ganhar mercado.

André Friedheim, diretor da Francap, consultoria especializada em franchising e redes de negócios, explica que a segmentação acontece em mercados mais maduros e é uma tendência no Brasil. "Ela diferencia o negócio e passa para o consumidor a imagem de que ele estará falando com quem mais entende do assunto."

No entanto, para que um negócio muito segmentado dê certo o empreendedor tem que trabalhar com os melhores profissionais, os melhores produtos, os melhores aparelhos. "Tem que ter uma proposta diferenciada que justifique a segmentação. Ao trabalhar com um produto ou serviço específico, o empreendedor tem que se aprofundar nele e ser o melhor naquela área", diz Friedheim.

Creusa Sakagute, diretora-comercial da Nails Beauty, diz que oferecer serviços estéticos para unhas fora dos salões de beleza tem se mostrado uma boa estratégia. "As clientes gostam porque perdem menos tempo e têm serviço de melhor qualidade. Nossos produtos são importados e têm tecnologia que não há nos salões."

A franquia trabalha apenas com quiosques em shopping centers, o que, segundo Sakagute, proporciona cerca de 10 a 15 clientes novos por dia para o franqueado. O investimento inicial é de R$ 55 mil (custos de instalação + taxa de franquia + capital de giro).

Thiago Rebelo, responsável pela franquia O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo, diz que é fundamental que o nicho de mercado tenha demanda suficiente para sustentar o negócio que vende um único produto.

"O bolo de chocolate é, sem dúvida, uma das sobremesas mais queridas pelos brasileiros, faz parte da cultura e está presente em vários momentos da vida das pessoas. Escolhemos o astro da festa para ser nosso produto principal e cuidamos para que nossos clientes tenham uma experiência única em nossas lojas. Este é o segredo", afirma Rebelo.

O investimento inicial para abertura da franquia é a partir de R$ 150 mil, incluindo custos de instalação, taxa de franquia e capital de giro.

Vender produtos relacionados ao principal eleva a lucratividade

Já o restaurante L’Entrecôte de Paris possui apenas um prato quente no cardápio, o L’Entrecôte, composto por carne vermelha ao molho servida com batatas fritas. Rodrigo Ferreira, gerente-geral, diz que consegue negociar bons preços para os ingredientes, porque compra em grandes quantidades. "O desafio é manter o produto padronizado, sempre com a mesma qualidade."

Se no cardápio de salgados não há opções, no de sobremesas, o cliente se esbalda. "A diversidade de sobremesas compensa o fato de ter um prato só e eleva o ticket médio [valor médio gasto por cliente], aumentando também o faturamento", declara. O investimento inicial para a franquia é de R$ 1 milhão a R$ 1,5 milhão (custos de instalação + taxa de franquia + capital de giro).

O diretor da Francap explica que mesmo um negócio especializado pode vender outros produtos ou serviços para elevar o valor gasto pelos consumidores. "Vender produtos agregados e sinérgicos, que não descaracterizem a operação, ajuda a oferecer uma experiência completa ao cliente e a aumentar o ticket médio", afirma.

Redes de brownie e cookies são novidades

A Brou’ne é outra franquia que chega ao mercado apostando na segmentação. O produto principal da rede é o brownie, com mais de 15 opções de sabores. O investimento inicial para abertura de uma unidade é a partir de R$ 160 mil (custos de instalação + taxa de franquia + capital de giro).

Na Mr. Cheney, a atração é o cookie. O investimento inicial é de R$ 185 mil (custos de instalação + taxa de franquia + capital de giro). Lindolfo Paiva, sócio-fundador da Mr. Cheney, diz que o modelo de negócio importado do exterior enfrentou uma barreira de entrada no Brasil, apesar de haver um grande mercado ainda inexplorado e sem concorrência.

"O Brasil não conhecia os cookies gourmet, apesar de serem tão populares, especialmente nos EUA. Nosso público era apenas as pessoas que já tinham viajado para o exterior e conheciam essa iguaria lá de fora. Para o público em geral, tivemos que desenvolver algumas campanhas e a degustação foi a principal. Hoje o mercado já tem se apresentado bem receptivo e fiel", afirma Paiva.

Para o especialista em franquias da Francap, há muitas oportunidades. "Existem muitos negócios que ainda não se especializaram no Brasil. O mercado está propenso a este tipo de segmentação, mas o empreendedor tem que saber que precisará trabalhar com uma profundidade maior, ter todos os tipos do produto ou serviço que ele se propor a oferecer".
icon facebook
icon facebook
Rua Pedroso Alvarenga, 1046 - 14º Andar - Itaim Bibi - São Paulo/SP | Tel. (11) 5180-5555 | Fax. (11) 3079-1998
desenvolvido por Criamix
NEWSLETTER